O futuro das apostas no Brasil: congresso discute se legaliza ou não

Este artigo discutirá a mais recente tecnologia em apostas esportivas. Também especulamos sobre como as apostas esportivas mudarão no futuro.
Avatar de Redação
22/06/2023 às 12:02 | Atualizado há 6 meses
O futuro das apostas no Brasil: congresso discute se legaliza ou não 1

Nos últimos anos, as apostas esportivas têm ganhado cada vez mais popularidade em todo o mundo, incluindo o Brasil. No entanto, a regulamentação dessa atividade ainda é um assunto controverso no país. O Congresso Nacional tem discutido um projeto de lei que visa regulamentar e taxar as apostas esportivas, abrindo espaço para debates acalorados sobre a diferença entre jogos de azar e apostas esportivas. Neste artigo, vamos explorar os principais pontos dessa discussão e analisar as possíveis consequências da regulamentação das apostas esportivas no Brasil.

O Projeto de Lei em discussão

O projeto de lei que está sendo debatido no Congresso Nacional busca regulamentar e taxar as apostas esportivas no Brasil. Entre os pontos polêmicos do projeto está a possibilidade de inclusão dos cassinos online na proposta. Atualmente, as chamadas “bets” oferecem dois tipos de serviços: as apostas de quota fixa e os cassinos online.

As apostas de quota fixa são aquelas em que o apostador sabe exatamente qual é a taxa de retorno no momento da aposta. Essas apostas estão relacionadas a eventos reais, geralmente de temática esportiva. Já nos cassinos online, o ganho ou perda é exclusivamente na sorte e no tanto de chances que o operador oferece ao apostador, sem transparência sobre qual será o ganho da pessoa em caso de vitória ou o prejuízo em caso de derrota.

Diferença entre jogos de azar e apostas esportivas

Um dos pontos de discussão levantados pelos opositores da regulamentação das apostas esportivas é a diferença entre jogos de azar e apostas esportivas. Deputados da oposição argumentam que a liberação de jogos de azar, que são proibidos no Brasil, poderia favorecer o aumento do vício em apostas.

Segundo especialistas em direito desportivo, a grande diferença entre as modalidades está na previsibilidade para o apostador. Nas apostas esportivas de quota fixa, o apostador tem algum grau de previsibilidade sobre o retorno, uma vez que é informado sobre o quanto poderá ganhar caso acerte o prognóstico. Esse tipo de aposta é mais transparente em relação aos prêmios e não se caracteriza como um jogo de azar.

Já nos cassinos online, o resultado depende exclusivamente da sorte, não havendo transparência sobre as chances de ganho do apostador. Essa falta de transparência é um dos principais argumentos dos opositores da regulamentação, que alegam que os cassinos online podem levar ao aumento do vício em apostas.

Benefícios da regulamentação das apostas esportivas

Apesar das controvérsias, a regulamentação das apostas esportivas pode trazer diversos benefícios para o Brasil. Um dos principais aspectos positivos é o aumento da arrecadação do governo. O projeto de lei enviado ao Congresso prevê uma arrecadação de R$ 2 bilhões no próximo ano com as apostas esportivas de quota fixa.

Além disso, a regulamentação pode trazer mais transparência e segurança para os apostadores. Com regras claras e uma fiscalização eficiente, é possível evitar fraudes e proteger os apostadores de possíveis golpes. A regulamentação também pode criar um ambiente mais favorável para a atuação de empresas do setor, gerando empregos e estimulando a economia.

Taxação e divisão do montante arrecadado

O projeto de lei em discussão prevê a taxação das apostas esportivas. O texto aprovado no Senado estabelece uma taxa de 12% sobre a receita bruta das plataformas, subtraídos os prêmios pagos aos apostadores. O montante arrecadado seria dividido da seguinte forma:

  • 10% para o Ministério da Educação;
  • 14% para a área da segurança pública, como o Fundo Nacional de Segurança Pública (FNSP) e o Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras (Sisfron);
  • 36% para a área do esporte, como o Ministério do Esporte e comitês esportivos;
  • 10% para a seguridade social;
  • 28% para a área do turismo, como a Agência Brasileira de Promoção Internacional do Turismo (Embratur) e o Ministério do Turismo;
  • 1% para o Ministério da Saúde;
  • 0,50% para entidades da sociedade civil, como a Associações de Pais e Amigos dos Excepcionais (Fenapaes), a Federação Nacional das Associações Pestalozzi (Fenapestalozzi) e a Cruz Vermelha Brasileira;
  • e 0,50% para o Fundo para Aparelhamento e Operacionalização das Atividades-fim da Polícia Federal (Funapol).

Aspectos a serem aprimorados

Apesar dos benefícios da regulamentação, o projeto de lei em discussão também apresenta pontos que precisam ser aprimorados. Um deles é a taxação de 15% sobre o lucro do apostador, que pode estimular a ilegalidade. Esse imposto não tem precedente em outros países e pode levar os apostadores a buscar plataformas de apostas em outros países, continuando na ilegalidade.

Outro ponto que merece atenção é a necessidade de garantir a transparência e a segurança nas apostas esportivas. É fundamental que o projeto de lei estabeleça regras claras e uma fiscalização eficiente para evitar fraudes e proteger os apostadores.

Conclusão

A regulamentação das apostas esportivas no Brasil é um assunto que gera debates acalorados no Congresso Nacional. Apesar das controvérsias, a regulamentação pode trazer benefícios significativos para o país, como o aumento da arrecadação e a criação de um ambiente mais seguro e transparente para os apostadores.

No entanto, é importante que o projeto de lei seja aprimorado, levando em consideração as preocupações levantadas pelos opositores da regulamentação. É fundamental garantir a transparência, a segurança e a previsibilidade para os apostadores, evitando o aumento do vício em apostas e estimulando o desenvolvimento de um mercado legal e responsável.

O futuro das apostas esportivas no Brasil está sendo discutido no Congresso Nacional, e cabe aos legisladores encontrar um equilíbrio entre a regulamentação e a proteção dos apostadores. Somente assim será possível aproveitar todos os benefícios dessa atividade e evitar seus possíveis efeitos negativos.

SUGESTÕES PARA VOCÊ