O que é Koo, rede social que foi invadida pelos brasileiros

Veja também como criar uma conta no Koo e como fazer seu primeiro post na rede social indiana
Avatar de André Luiz
18/11/2022 às 23:04 | Atualizado há 2 anos
O que é Koo, rede social que foi invadida pelos brasileiros 1

Com as recentes demissões em massa que Elon Musk tem causado no Twitter, onde 75% dos funcionários pediram demissão, o medo dos usuários da gigante rede social estão saindo em busca de outra rede parecida. Aí que entra o Koo; uma rede social indiana que é “inspirada” no Twitter, que nos últimos dois dias ganharam dezenas de milhares de novos usuários vindo do Brasil. Mas porque do Brasil?

O trocadilho no Brasil

O Koo é uma rede social que tem um aplicativo que lembra bastante o Twitter, desde no estilo da Timeline como no design. Ao invés de um pássaro azul, ela tem pintinho amarelo. Mas não foram esses os fatores que levaram a rede social a ser invadida pelos brasileiros, a ponto de começarem a tuitarem em português e avisarem que estão preparando em tempo recorde uma versão em português do app para receber os novos usuários. O motivo é um só: a sonoridade na pronúncia de Koo em português, nem preciso entrar em detalhes, correto?

Artistas e influenciadores digitais entraram na brincadeira e estão soltando diversos trocadilhos sobre o Koo no Twitter. Um dos maiores influenciadores do Brasil e do mudo, Felipe Neto postou um vídeo no Twitter dizendo que abriu o Koo (uma conta) e que todos estavam “convidados a entrarem em seu Koo”.

O que é o Koo?

O Koo é uma plataforma indiana multilíngue de microblogging, ela já recebeu mais de 50 milhões de downloads desde que foi lançada em 2020. Ele afirma ser o segundo maior site de microblogging do mundo, depois do concorrente norte-americano Twitter.

Mas a empresa não está descansando, dizem os líderes de Koo. Agora está de olho na expansão para os mercados globais, particularmente os EUA, onde uma parte dos usuários do Twitter está ressentida com as novas políticas que lançaram serviços pagos depois que Musk adquiriu a plataforma por US $ 44 bilhões em outubro. Além do Brasil, como comentamos acima.

“Este é o momento perfeito para nos darmos a conhecer em mercados onde há uma forte procura de alternativas e os EUA são um deles. As pessoas de lá não gostam da mudança de propriedade; eles não sabem o que esperar do Twitter”, disse Aprameya Radhakrishna, 41, co-fundador e executivo-chefe da Koo, ao site americando The National.

“Eles têm um ponto de atrito se devem pagar. Isso os está levando a procurar uma alternativa. Construímos um produto de classe mundial na Índia e queremos que as pessoas experimentem o Koo, que tem mais recursos e é gratuito”, disse ele.

O sucesso da Koo no mercado doméstico veio da prestação de serviços em mais de uma dúzia de idiomas regionais.

Também ganhou apoio do governo que promoveu a plataforma como uma alternativa caseira ao Twitter, que repetiu confrontos com o estado indiano após novas leis controversas que regulam o ciberespaço.

A ascensão de Koo

O que é Koo, rede social que foi invadida pelos brasileiros 4
Koo foi fundado por Aprameya Radhakrishna e Mayank Bidwatka para população indiana que não fala inglês em 2019. Foto: Koo

A Koo foi fundada por Radhakrishna e Mayank Bidawatka para atrair a população de indianos que não falam inglês em 2019.

A Índia tem 20 línguas regionais e mais de 700 dialetos. Embora o inglês seja amplamente falado e reconhecido como língua oficial, apenas 10% de sua população de 1,3 bilhão de pessoas usa o idioma.

“O Koo é uma plataforma para que não falantes de inglês em todo o mundo expressem seus pontos de vista em seu idioma, ao contrário do Twitter”, disse Radhakrishna.

O primeiro-ministro indiano, Narendra Modi, elogiou Koo em um de seus programas mensais de rádio, mas, curiosamente, não se juntou à plataforma. Ele é um dos líderes mais seguidos globalmente no rival Twitter, com 84,4 milhões de seguidores.

No entanto, a maioria de seus colegas de gabinete e funcionários do partido fizeram do site de mídia social local a escolha preferida, em grande parte após um impasse entre seu governo e o Twitter sobre os protestos dos agricultores em 2021.

O Twitter se tornou um ponto de encontro para milhões de agricultores indianos que protestavam contra as controversas leis agrícolas introduzidas pelo governo de Modi em 2020.

Tweets da estrela pop Rihana e da ativista Greta Thunberg apoiando os agricultores trouxeram os protestos de rua sob os holofotes globais.

À medida que as críticas generalizadas cresciam, o governo exigiu que o site bloqueasse centenas de contas – incluindo as de líderes da oposição – mas o Twitter se recusou, dizendo que isso violaria sua política de liberdade de expressão.

Nos dias seguintes, vários ministros do governo de Modi, incluindo o então ministro de Eletrônica e Tecnologia da Informação, Ravi Shankar Prasad, criticaram o Twitter antes de endossar publicamente Koo.

A medida provocou multidões de apoiadores do governo hindu-de direita a mudar para a alternativa caseira.

Ele ganhou um financiamento de US $ 4,1 milhões da série A – a primeira rodada significativa de financiamento de capital de risco da empresa – e afirma hospedar mais de 7.500 personalidades indianas importantes como seus usuários.

Mas o aplicativo enfrentou críticas por sua inclinação à direita e foi comparado ao Parler, o aplicativo de mídia social com sede nos EUA que se tornou popular entre os apoiadores conservadores do ex-presidente dos EUA, Donald Trump, após sua proibição pelo Twitter em 2021.

Alguns também traçaram semelhanças entre o Koo e o aplicativo chinês Weibo, que se acredita ter uma estreita associação com o regime de Pequim.

Koo também se tornou uma alternativa ao Twitter na Nigéria depois que o país proibiu a plataforma por ter excluído um tuíte do presidente Muhammadu Buhari em junho do ano passado.

Mas Radhakrishna nega qualquer inclinação ideológica e afirma que sua plataforma é “apolítica” e atribui seu crescimento ao princípio da liberdade de expressão.

“Somos muito mais inclusivos quando se trata de liberdade de expressão na internet. Permitimos que as pessoas que falam qualquer idioma possam vir e expressar sua opinião na plataforma”, disse ele.

“Somos uma plataforma neutra enquanto mostramos o verdadeiro reflexo do país. A plataforma não deve ser rotulada. Somos uma soma ou agregação de todas as vozes e não em si uma voz … A percepção não é a realidade”, disse.

Recursos gratuitos do Koo

Embora o Koo tenha um layout quase idêntico ao Twitter, Radhakrishna diz que seus serviços gratuitos são uma grande atração para os usuários no Ocidente, especialmente depois que o Twitter decidiu comercializar muitos de seus serviços.

Musk introduziu um plano de assinatura do Twitter Blue de US $ 8 por mês para verificação, dando aos assinantes o tique azul, pois visa limpar a plataforma de contas de spam e bots.

Mas o tiro saiu pela culatra com várias contas falsas de personalidades e entidades proeminentes surgindo com verificações de tique-taque azul depois de usar os novos serviços de pagamento.

A gigante farmacêutica norte-americana Eli Lilly perdeu US $ 15 bilhões depois que um usuário criou uma conta falsa em seu nome e anunciou que estava fazendo insulina gratuitamente.

Radhakrishna disse que sua plataforma só oferece selos de verificação aos usuários com base em seus antecedentes e por meio de documentação.

“Identificar-se é um direito fundamental. Cobrar de alguém por um direito fundamental não é uma boa ideia. No Koo, pode-se auto-verificar usando o número de identificação para o carrapato amarelo e, se alguém é de eminência, recebe um carrapato verde”, disse Radhakrishna.

“Já está disponível para download nos EUA. Queremos que mais pessoas saibam que aqui está uma oportunidade de mudar toda uma rede e desfrutar de recursos semelhantes e mais na plataforma gratuitamente”, disse ele.

Como abrir uma conta no Koo

  1. A primeira coisa a fazer é baixar o Koo, disponível tanto na Google Play Store como na App Store;
  2. Depois escolha o idioma, lembrando que ainda não há uma versão em português do Koo;O que é Koo, rede social que foi invadida pelos brasileiros 5
  3. Agora complete seu cadastro, a rede aceita conta do Google, telefone celular ou e-mail;
  4. A conta será criada e você receberá um nick aleatório, mas posteriormente é só trocar;O que é Koo, rede social que foi invadida pelos brasileiros 6
  5. Criada a conta, você precisará mudar seu perfil; trocando o nome que irá aparecer a outros, foto de perfil e etc;
  6. Depois toque no botão “Edit”;
  7. Ao fazer isso, um novo menu de personalização será aberto. Ali você colocará seu nome de usuários, biografia e sua foto.

Como postar no Koo

Para criar um post, basta ir até a página inicial do Koo e depois pressione a barra de texto ou toque no símbolo de “+”.

Ele permite posts de até 500 caracteres. Ele também é compatível como imagens, links, vídeos, enquetes, emojis e etc. Depois de escrever sua mensagem, basta clicar em “Post”.

Ele também tem hashtags igual o rival Twitter. Basta clicar no menu jogo da velha “#”. Basta clicar que a thread é aberta. No símbolo de fogo ficam as publicações feitas recentemente com as hashtags em alta.

Se você gostou do artigo, nos acompanhe no Google Notícias, Facebook, Twitter e Telegram para ter acesso imediato a tudo.
Avatar de André Luiz
André atua como jornalista de tecnologia desde 2009 quando fundou o Tekimobile. Também trabalhou na implantação do portal Tudocelular.com no Brasil e já escreveu para outros portais como AndroidPIT e Techtudo. É formado em eletrônica e automação, trabalhando com tecnologia há 26 anos.
SUGESTÕES PARA VOCÊ