O Que é um Token Não Fungível (NFT) e Como Funciona?

Entenda de uma vez por todas o que é um NFT (Token Não Fungível), quais suas aplicações e porque ele é tão importante atualmente para o futuro
Avatar de André Luiz
25/01/2024 às 19:56 | Atualizado há 1 mês
o que é nft

Os tokens não fungíveis (NFTs) estão se tornando cada vez mais populares e ganhando destaque no mundo da tecnologia. Mas o que exatamente é um NFT? Como funciona e quais são suas aplicações? Neste artigo, vamos explorar essas questões e fornecer um guia completo sobre o assunto.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O Básico dos Tokens Não Fungíveis

Para entender o que é um NFT, é importante compreender o conceito de fungibilidade. Em termos simples, um ativo fungível é aquele que pode ser facilmente substituído por outro de igual valor.

Por exemplo, uma nota de R$10 pode ser trocada por qualquer outra nota de R$10, pois ambas têm o mesmo valor.

No entanto, um ativo não fungível é único e não pode ser substituído por outro. Cada NFT é único e possui características distintas que o diferenciam de outros tokens. Essas características podem incluir informações sobre a autenticidade, propriedade, direitos autorais e muito mais.

O que é NFT?

A sigla NFT significa a palavra em inglês non-fungible token ou Token não fungível. Antes de entender melhor sobre a tecnologia em si, é necessário aprender sobre o que é token e o que significa a palavra fungível.

No universo das criptomoedas, um token é a representação digital de algum ativo, entre eles dinheiro, propriedades ou obras de arte. Normalmente registrada em uma blockchain, a tecnologia nasceu no final de 2008. Para simplificar, se uma pessoa possui um token de uma obra de arte, significa que o usuário possui direito a obra, ou parte dela.

Quando o bem é fungível, de acordo com o Código Civil Brasileiro, ele faz parte de uma categoria que  pode ser substituída por outro da mesma espécie, qualidade e quantidade

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - OTZ

Para simplificar novamente, uma nota de R$ 100 é fungível pois ela pode ser trocada por duas de R$ 50. Já uma pintura famosa não é fungível, pois é única e não pode ser trocada por outra igual. A tecnologia é a representação de um item exclusivo que pode ser digital, como uma obra de arte.

Porém, a tecnologia não se limita a obras de arte, mas vai além funcionando em músicas, itens de jogos, momentos únicos no esporte e memes podem ser transformados em um.

Ele possui relação com criptomoedas

Ele possui relação com criptomoedas (Imagem: Vulcan Post)Vamos juntar os dois conhecimentos sobre o que vimos e podemos concluir que a tecnologia se trata de um certificado digital de propriedade que qualquer um pode ver e confirmar a autenticidade, e não pode ser alterada por ninguém.

Como já foi dito, toda a obra é guardada no blockchain, ficando em um local seguro, que pode ser visto por vários usuários. Atualmente a rede do Ethereum é a mais usada para o desenvolvimento da tecnologia.

Para que ele funcione corretamente é necessário seguir um padrão chamado de ERC-721. Entre as blockchains que permitem a criação da tecnologia, encontramos a Tezos, a Solana, a EOS e a Binance Smart Chain.

Como os NFTs Funcionam?

Os NFTs são criados utilizando tecnologia de blockchain, sendo o Ethereum a plataforma mais comumente utilizada para esse fim. Um NFT é criado através do processo de “minting”, que envolve a criação de um novo bloco na blockchain e a validação das informações do ativo.

Essas informações são então registradas no blockchain, enquanto o ativo real é armazenado em outro local.

Cada NFT possui um identificador único que está diretamente vinculado a um endereço na blockchain. Essa vinculação garante a autenticidade e a propriedade exclusiva do token. Embora dois NFTs possam parecer idênticos, eles são únicos e não podem ser substituídos um pelo outro.

Aplicações dos NFTs

Os NFTs têm uma ampla gama de aplicações e podem representar qualquer coisa digital ou física. Uma das aplicações mais populares dos NFTs é na venda de arte digital. Artistas podem criar NFTs de suas obras de arte digitais e vendê-las diretamente para os colecionadores, eliminando intermediários e aumentando sua receita.

Além da arte, os NFTs também podem representar música, vídeos, jogos, propriedades virtuais, colecionáveis, identidades digitais e muito mais. A flexibilidade dos NFTs permite que eles sejam utilizados em diversas indústrias e setores, revolucionando a forma como os ativos digitais são comercializados e valorizados.

Benefícios dos NFTs

Os NFTs oferecem diversos benefícios tanto para os artistas e criadores quanto para os compradores e colecionadores. Para os artistas, os NFTs proporcionam uma forma de monetizar seu trabalho digital, muitas vezes sem uma demanda estabelecida no mercado tradicional.

Além disso, os criadores podem incluir cláusulas nos contratos inteligentes dos NFTs que lhes garantem uma porcentagem de cada venda futura, permitindo que eles lucrem com a valorização de suas obras.

Para os compradores e colecionadores, os NFTs oferecem uma maneira única de apoiar seus artistas favoritos, ao mesmo tempo em que adquirem ativos digitais exclusivos.

A posse de um NFT também pode conceder benefícios adicionais, como direitos de uso da obra de arte ou acesso exclusivo a eventos relacionados.

A Evolução dos NFTs

Os NFTs têm ganhado cada vez mais destaque na mídia e chamado a atenção de famosos e grandes marcas. Artistas renomados, como Beeple, têm vendido suas obras digitais por milhões de dólares, estabelecendo recordes no mercado de arte digital. Grandes marcas, como a Marvel, também entraram no mundo dos NFTs, lançando coleções exclusivas para os fãs e colecionadores.

No entanto, é importante ressaltar que o mercado de NFTs também tem enfrentado críticas e desafios. A volatilidade dos preços e a falta de regulamentação são preocupações comuns. Além disso, a sustentabilidade ambiental das transações em blockchain tem sido questionada, devido ao alto consumo de energia.

Onde comprar NFT?

Se você gostou de conhecer sobre a tecnologia, deve estar se perguntando onde é possível realizar as compras. Para a tecnologia, existe uma série de marketplaces especializados na venda desses ativos digitais. Algumas dessas plataformas são:

  • OpenSea
  • Rarible
  • Solanart
  • Foundation
  • SuperRare
  • Nifty Gateway
  • 9Block

Mas e se você não quiser comprar, e sim entregar suas cartas? Veja mais sobre isso abaixo.

Como criar um NFT?

Diferente do que muitos pensam, criar NFTs pode ser um processo bem simples. Por exemplo, utilizando o OpenSea, o usuário terá que entrar na plataforma, conectar conectar a carteira de criptomoedas e subir no site o que deseja transformar em NFT.

Ele pode subir itens como imagem, vídeo, música ou modelos 3D. A limitação é de arquivos de no máximo 100 MB. Depois de subir o que deseja, é possível incluir nome, descrição e mais detalhes sobre o ativo.

Para criar suas NFTs é necessário o uso da blockchain do Ethereum. Por meio dela você terá que pagar uma taxa, além disso, a própria OpenSea cobra 2,5% de comissão quando seu token não fungível for vendido. Outras plataformas como Rarible, SuperRare e Nifty Gateway têm valores semelhantes.

O que pode virar um NFT?

Será que existe alguma limitação sobre o que pode ser um NFT? Entre os itens elegíveis, temos quadros físicos e digitais, músicas, itens de jogos, memes, fotos de momentos do esporte, domínios de sites, vídeos e até posts em redes sociais.

Um exemplo foi no inicio de 2021, quando o o presidente do Twitter, Jack Dorsey, vendeu seu primeiro tuíte por pouco mais de US$ 2,9 milhões como NFT. A mensagem, publicada em 21 de março de 2006, diz “just setting up my twttr” (apenas configurando meu twttr, na tradução para o português).

Outro exemplo foi a NBA, que movimentou cerca de US$ 200 milhões em um fim de semana de fevereiro com negociações na Top Shot, sua plataforma de comercialização de tokens. Nela, fãs podem comprar cards digitais de jogadas marcantes.

Já vimos muito sobre a tecnologia em si, e conhecemos algumas semelhanças com outras. Mas o que elas possuem de diferenças entre outras? Vamos ver sobre isso abaixo.

Criptomoedas vs NFT: quais as diferenças

As criptomoedas como os Bitcoins são fungíveis. Ou seja se você enviar um Bitcoin para alguém, a pessoa poderá lhe devolver outra unidade, e você continuará tendo o mesmo valor. Elas são divisíveis, então é possível enviar frações para alguém.

Já o NFT é único e não divisível, não é possível trocar uma obra de arte de um pintor famoso, pois só existe aquela com aquele nome e descrições. Além disso, não dá para transferir metade do quadro ou um terço dele para outra pessoa.

Mas será que vale a pena investir e conhecer essa nova tecnologia? Bem, como tudo na vida ele possui riscos e vantagens, vamos conhecer sobre cara um deles abaixo.

Riscos dos NFTs

  1. Liquidez

    A liquidez do NFT é baixa, se você compra um depois decide vende-lo novamente, poderá demorar um bom tempo encontrar um comprador interessado. Nesse caso, o mercado se parece mais com o ramo de artes do que com o ramo de criptomoedas em si.

  2. Volatilidade

    Assim como outras tecnologias ele é volátil
    Assim como outras tecnologias ele é volátil (Imagem: Aquila Engenharia)

    Assim como outras tecnologias ele também é volátil. Isso acontece pois se trata de uma tecnologia nova, e os ativos digitais ainda estão passando por um período de formação de preços.

  3. Fraudes

    Muitos golpistas se apropriam de trabalhos feitos por outros indivíduos e vendem como se fosse deles. Então é necessário pesquisar se ele é realmente de determinado autor.

Vantagens

  1. Escassez

    A tecnologia em si, assim como obras de pintores famosos, também são escassos. Apesar de todo mundo conseguir criar uma cópia do material digital, só o proprietário realmente tem a posse dele, e pode vendê-lo no futuro.

  2. Facilidade

    Um token não fungível pode ser transferido de um canto do mundo para o outro em minutos, assim como ocorre com as criptomoedas. No caso de uma obra de arte física, o processo seria mais complexo, e envolveria custos elevados de transporte.

    Agora que conhecemos mais sobre a tecnologia em si diga para nós, você já sabia do que ela se tratava? Tem interesse em fazer investimentos e conhecer mais sobre ela? Diga para nós nos comentários abaixo.

O Futuro dos NFTs

O futuro dos NFTs é incerto, mas seu potencial é inegável. Esses tokens têm o poder de transformar a forma como as pessoas interagem com ativos digitais e como os artistas monetizam seu trabalho.

À medida que mais pessoas se familiarizam com a tecnologia e o mercado de NFTs se desenvolve, é provável que vejamos novas aplicações e inovações surgirem.

No entanto, é importante lembrar que os NFTs não são um investimento garantido e que o mercado pode ser volátil. Antes de comprar ou vender um NFT, é essencial fazer uma pesquisa cuidadosa, entender os riscos envolvidos e tomar decisões informadas.

Conclusão

Os NFTs são ativos digitais únicos que estão se tornando cada vez mais populares. Eles oferecem uma maneira inovadora de monetizar e comercializar ativos digitais, como arte, música e jogos. Embora existam desafios e críticas em relação aos NFTs, seu potencial de transformação é inegável.

Se você está interessado em NFTs, é importante se familiarizar com o mercado, entender os riscos envolvidos e tomar decisões informadas. Os NFTs podem proporcionar novas oportunidades para artistas, colecionadores e investidores, mas é fundamental adotar uma abordagem cautelosa e consciente.

Portanto, se você está pensando em entrar no mundo dos NFTs, faça sua pesquisa, consulte especialistas e esteja preparado para os altos e baixos do mercado. Os NFTs podem ser uma forma emocionante de se envolver com a arte e a tecnologia, mas é importante agir com responsabilidade e manter-se informado.

Se você gostou do artigo, nos acompanhe no Google Notícias, Facebook, Twitter e Telegram para ter acesso imediato a tudo.
Avatar de André Luiz
Fundador e editor chefe da Tekimobile Midia. Além de empreender, trabalhou 20 anos com eletrônica e telecom até que decidiu se dedicar 100% na produção de conteúdo.
SUGESTÕES PARA VOCÊ