Baby Shark é o vídeo mais assistido de todos os tempos no YouTube

Avatar de Redação
03/11/2020 às 17:00 | Atualizado há 4 anos
Baby Shark é agora o vídeo mais assistido de todos os tempos no YouTube

Baby Shark, a música infantil viciante que ficou famosa no mundo todo, se tornou hoje (3) o vídeo mais assistido de todos os tempos no YouTube, ultrapassando o recordista anterior Despacito, uma canção latina do cantor Luis Fonsi. O refrão empinotizante “doo doo doo doo doo doo” e a dança dos peixe têm sido uma mania no mundo todo há algum tempo, especialmente em famílias com crianças.

Gravada por uma empresa de entretenimento educacional sul-coreana, Pinkfong, a música já foi tocada mais de 7,04 bilhões de vezes.

O que poucos sabem é que a música não é nova, nem mesmo sul-coreana. Se trata de uma música americana que ficou famosa nos anos 70 que é muito usada em acampamentos.

A música foi cantada pela cantora coreana-americana Hope Segoine, de 10 anos, e o vídeo original de “Baby Shark” foi upado em 26 de novembro de 2015. O vídeo recorde é o segundo que Pinkfong lançou em 18 de junho , 2016, intitulado “Baby Shark Dance”, e apresentava duas crianças realizando a, agora popular, rotina de dança.

Há um grande número de variações na premissa básica e incontáveis ​​capas no YouTube. Ao contrário da maioria das canções de ninar que são lentas e ajudam as crianças a adormecer, Pinkfong’s Baby Shark é um número de dança que as crianças gostam de assistir em loop – e essa repetição ajuda o vídeo a obter todas essas visualizações.

A música apresenta uma família de tubarões que vão caçar um cardume de peixes. Enquanto a versão em inglês listava apenas membros da família do tubarão, a versão coreana diz que Mommy Shark é “bonita”, Daddy Shark é “forte”, Grandma Shark é “gentil” e Grandpa Shark é “legal” e, portanto, tem sido criticado por letras sexistas.

Empresa-mãe de Pinkfong SmartStudy foi processado no ano passado pelo compositor Jonathan Wright argumentando que, embora as raízes de “Baby Shark” sejam de domínio público, ele detém os direitos autorais de uma versão derivada distinta, que foi infringida por Pinkfong. O caso ainda está sendo analisado pela Comissão de Direitos Autorais da Coreia.

Se você gostou do artigo, nos acompanhe no Google Notícias, Facebook, Twitter e Telegram para ter acesso imediato a tudo.
Avatar de Redação
Os artigos assinados por nossa Redação, são artigos colaborativos entre redatores, colaboradores e/por nossa inteligência artificial (IA).
SUGESTÕES PARA VOCÊ